6 atitudes para um acadêmico ter um Mindset empreendedor

Estou há 7 anos na vida acadêmica e paralelamente venho estudando sobre empreendedorismo, e pude observar alguns fatores que talvez justifiquem tanto desemprego. É a atual Crise Econômica? Talvez, mas acredito que não seja somente isso. Há uma  demanda  grande de trabalho, veja bem, de TRABALHO e não EMPREGO. Existem setores que sobram vagas porque não são preenchidas  pelos recém- formados, então não tem somente a ver com  a Crise Econômica mas também com a mentalidade dos jovens.

Quando se fala em empreender você deve pensar que é um termo apenas para quem quer abrir um negócio, e empreender não é apenas isso, você pode ser um empreendedor em sua carreira profissional ou empreender em seu emprego ou quem sabe nos seus estudos.
 Se você entrou na faculdade querendo apenas um emprego quando se formar , você pode entrar para a estatística dos desempregados. Ter um diploma é fundamental mas somente  isso não garante aquele emprego estável  que seu pai tanto almejou para você, outras habilidades são necessárias e ter o “mindset” empreendedor pode  ajudar a ter um diferencial. Mindset significa ao pé da letra configuração da mente, é o modo como você ver o mundo. Muitos estudantes optam em seguir apenas o conteúdo programático do curso da faculdade que,  parando para analisar, formam  pessoas iguais, com as mesmas habilidades, pois seguem um mesmo modelo.
Nesse post vou relacionar 6 atitudes que  você  pode colocar em pratica para conseguir bons resultados na sua carreira profissional, tornando-se  mais qualificado para o mercado de trabalho. São eles:

1 – Ter objetivos relacionados ao seu sonho
 Objetivos

Você passou os últimos 3 anos estudando com um objetivo: PASSAR NO VESTIBULAR, e agora que você passou e está na faculdade qual o seu objetivo? Curtir os finais de semana com os amigos?  Se formar e ter um emprego? É muito importante ter seus objetivos bem claros, tente imaginar-se  daqui há 10 anos, por exemplo se você é da área de  jornalismo poderia se imaginar morando em Nova York e trabalhando no The New York Times. Beleza esse é seu senho e porque não torná-lo seu objetivo, para isso você pode quebrá-lo em etapas e ter que atingir alguns objetivos menores como: ter que dominar bem o inglês, aprender os critérios para trabalhar no The New York Times e se capacitar para atender esses critérios e fazer um intercâmbio para os EUA. Esse é um sonho difícil  mas possível, talvez se estudar para alcançar esse resultado você não chegue a realizá-lo mas provavelmente vai conseguir ser jornalista de um portal de notícias bem conhecido.
 Então, durante o curso na faculdade,  a cada novo semestre você deve definir e  executar tarefas que vão te ajudar a alcançar seus objetivos profissionais. Por exemplo:
    – Aprender inglês – Para isso você pode baixar um aplicativo que ensina inglês ou fazer um curso de inglês, ahh não tenho dinheiro e nem tempo pra isso!! Não interessa dê seu jeito, tente conseguir algum trabalho para te ajudar a pagar o curso, lembrando que têm vários cursos que são oferecidos gratuitamente na internet.
     – Fazer um intercâmbio – Desde cedo comece a estudar a possibilidade de fazer um intercâmbio, quanto custa? o que precisa? mapeie as tarefas relacionadas a isso e tente executá-las, para isso indico o livro  “A Menina do Vale, da Bel Pescer” que mostra como ela realizou o sonho de ir estudar no MIT.

2 – Buscar sua arte
 Arte

Alguns escolhem o Curso Universitário mas nem se identificam com ele, buscar sua arte é identificar o mais rápido possível qual área dentro do Curso  você tem mais habilidade ou interesse. Aquilo que você faz com tanto entusiasmo  que nem percebe que está trabalhando,  ou aquilo que você faria até de graça pois você gosta tanto de fazer que o tempo passa e você nem sente a hora passar, isso é o FLOW. Quando você encontrar isso foque todo seu conhecimento para sua arte, não  estou falando de jogos eletrônicos ou  de um hobby, falo de habilidades, depois de encontrar sua habilidade tente aprender o máximo que você puder. Se você é do curso de TI e aprendeu a gostar de Banco de Dados, por exemplo, estude a melhor tecnologia de banco de dados da atualidade, procure uma empresa que trabalhe com esse banco de dados na região e seja voluntário na empresa para aprender na prática, não espere por um estágio, corra atrás do que realmente te completa. Trabalhe de graça, se for o caso, afinal isso é o que você gosta de fazer e  tente ser o melhor.

3 – Ser um Autodidata e contribuir mais, em vez de ficar só esperando o professor. 
 colaborar

Isso mesmo, não limite-se ao que seu professor está passando em sala de aula, canso de ver em grupos de WhatsApp de alunos, alguém perguntando “E ai pessoal vai ter aula hoje?” dai alguém responde: “Acho que não”, em seguida todos comemorando..tipo: valeu hoje não preciso aprender nada..posso ficar no meu jogo e olhando meu feed de notícia no Facebook, vendo meus vídeos do mustafary e compartilhando besterol nos grupos do WhatsApp..mais ou menos isso..se identificou? Então tente mudar isso!! Se não vai haver aula, não perca seu dia sem aprender nada. Porque você não estuda algo relacionado ao que o professor iria passar em sala de aula? Ou algo que você acha que e relevante para o curso, faça um vídeo explicativo em um formato de 2 min e poste nos seus grupos e contribua para que a turma use as redes sociais ao seu favor e não apenas para ficar procrastinando. O professor hoje em dia é alguém que vai te dá o caminho mais curto para  diminuir a curva de aprendizado, mostrando ferramentas e  dando um direcionamento sobre que rumo você deve seguir em sua carreira, esquece a figura do professor da escola primária que ficava passando o que você tinha que aprender, na sua infância e na sua juventude você aprendeu dessa forma, assimilando conteúdos que o professor passava na sala de aula e se limitando a isso, talvez essa seja uma das coisas que você tenha que desbloquear, você entender que o professor não é  mais o único  responsável pra te dar informação, você agora dispõe do Google aprenda a usá-lo a seu favor com métodos e técnicas de pesquisa você vai longe! Mudar essa forma de pensar te leva a um outro nível.

4- Faça tudo com excelência  

maxresdefault

A melhor forma de aprender é quando estudamos para ensinar, gosto de  utilizar seminários em minhas dinâmicas de aula. Mas observo que têm  alguns alunos que não se esforçam o mínimo para fazer um trabalho bem feito, pesquisam na Internet e o primeiro arquivo .ppt que encontram baixam e colocam o nome dos integrantes no primeiro slide e depois na apresentação ficam lendo os os slides, isso realmente me incomoda  pois mostra que o aluno não está nem um pouco interessado em contribuir para repassar o conhecimento para a turma, acha que o trabalho de aula é apenas para mostrar para o professor. Tente mudar isso em sua turma, se você faz o curso de Direito por exemplo e vai ter que fazer um seminário sobre Direito do Consumidor tente fazer seu trabalho com excelência, mostre-se interessado e seu grupo vai entrar na mesma sintonia, em vez de só pesquisar uma apresentação crie uma apresentação mais intuitiva, um bom material sobre isso é o livro “Faça como Steve Jobs: E Realize Apresentações Incríveis em Qualquer Situação – Carmine Gallo” que fala sobre boas apresentações, aproveite e faça também uma visita no PROCOM local, entreviste as pessoas gravando em de seu celular em formato de vídeos alguns consumidores insatisfeitos com seus fornecedores, traga essa discursão para dentro da sala de aula, crie um canal com esses vídeos no YouTube ou crie uma fã page no Facebook para a turma comentar depois do seminário, pense: Como os alunos de direito de Harvard fariam esse trabalho? Ahh fariam assim?Então vamos fazer melhor que eles, isso mesmo você pode ser melhor que um aluno de Harvard é essa atitude que você precisa ter para contagiar sua equipe. O Espírito de contribuição está sendo incorporado cada vez mais na cultura empresarial das empresas, se o estudante ter esse comportamento desde cedo durante seu período na faculdade vai ter grande chance de preencher esse requisito na sua pesquisa de emprego.

 5 Aprender a arte de vender.
 leads-de-vendas

Vender é uma arte que não se aprende na faculdade, não temos uma disciplina ensinando isso, você aprende a resolver o teorema de Pitágoras e não aprende a vender um produto, usando técnicas de persuasão e gatilhos mentais, e quando você entra em uma empresa a primeira coisa que te perguntam e se você é um vendedor da empresa, se te perguntarem isso diga que sim, senão está demitido. Para resolver esse problema você  pode trabalhar como voluntário em uma loja qualquer para aprender a vender e se relacionar com o público, quando digo vender não é apenas ser um vendedor para ganhar sua comissão no final do mês, como muitos fazem. Mas sim aprender a arte de vender, leia o livro “Saber Vender é da Natureza Humana de Daniel Pink” e você vai entender melhor de que estou falando, isso certamente vai te ensinar na prática como vender um produto e como ter persuasão com os clientes, aprender a conectar-se com as pessoas antes de fazer a oferta, isso é muito importante, esse é o tipo de coisa que você não aprende na universidade, dessa forma você acaba aprendendo outras coisas, como bater metas e até mesmo entender a operação de venda de uma empresa e isso te coloca anos-luz na frente de seus colegas e de muitos outros estudantes da sua área, pois tudo daqui pra frente vai está relacionado a venda, como: vender seu projeto de TCC para uma banca de avaliadores, se vender para um recrutador de empresa em uma entrevista de emprego ou quem sabe dá o pitch de seu negócio para um investidor.
     Enfim, você pode fazer várias coisas paralelamente ao seu aprendizado na faculdade são coisas que vão te trazer prática que você só teria ao adquirir o primeiro emprego, isso responde ao questionamento de muitos alunos que não entendem quando a empresa pede para o estagiário ou recém contratado colocar suas experiências profissionais, eles questionam: Mas se é um estágio/primeiro emprego como posso ter alguma experiência? Esquecem que podem ter sido voluntários.

6 – Escreva sua própria história, seu destino é você quem faz.

Typewriter1

Se você fosse se apresentar hoje pra alguém como você se apresentaria? Que feitos ou fatos você contaria para impressionar essa pessoa? Tente contar sua história, a faculdade é uma ótima oportunidade para construir isso. A vida é sua e você que direciona os caminhos que você deve seguir, você é o protagonista, não se veja na sua história apenas como um coadjuvante, aquele cara que aparece de vez em quando e não faz nada de interessante no filme, tente criar oportunidades que marquem sua jornada, seja pro-ativo na comunidade acadêmica, tente relacionar-se com todos da sua turma, com os professores principalmente e expanda sua rede de contatos com colegas de outros cursos, esse é o melhor momento para você conhecer pessoas interessante, não limite-se apenas a sua sala de aula. Tente fazer de cada evento um evento marcante, participe de todos eventos que puder, inclusive de outros cursos, um seminário, um workshop que você apresentou em uma jornada acadêmica, um artigo que você escreveu, um projeto que você apresentou para alunos de outro curso, registre tudo isso em seu Linkedin no seu currículo Lattes, quem sabe no seu GitHub, ou melhor crie o seu blog ou canal do YouTube e compartilhe suas experiências. Sempre coloque-se a disposição para ajudar no que for preciso e viva sua vida para guardar seus momentos de sucesso e fracasso, registre tudo e pense que daqui há 10 anos você vai precisar desse seu histórico para se apresentar em um grande evento onde você vai ser o convidado especial.
Enfim, era isso que tinha para compartilhar poderia citar várias outras atitudes, quem sabe em outro post, mas esses são os que eu vejo como mais importantes.
Sei que você vai ler esse artigo, pode até achar legal, pena que não vai fazer nada do que está escrito nele, vai continuar seguido a boiada não é verdade? Digo isso porque sei que a grande parte dos alunos tem essa característica de ler e não praticar e existe uma grande diferença entre querer fazer e fazer, praticar o que você aprende. Agora se você faz parte daquela minoria que faz a diferença, daqueles que levam os estudos a sério, então vai em frente, tente colocar em prática uma dessas atitudes e você vai poder me contar se teve ou não resultado, te encorajo aqui a compartilhar esse artigo nas suas redes sociais e postar nos comentários sua experiência. Sucesso na sua carreira profissional!!
Anúncios

3 comentários

  1. Professor Francisco Olivar, gostei muito do seu artigo porque ele me fez pensar em minha trajetória dentro da universidade e na minha própria história.

    Existe uma cultura entre os estudantes universitários de reclamar por tudo e por todos. Esse modo de pensar, acredito eu, é uma desculpa para não ir além das suas realidades. Esperam muito e pouco fazem diante do mundo incrível que temos diante de nós. Sobre isso, seu artigo aponta caminhos (a atitude 1, em meu ver, faz toda a diferença).

    Mindset é um assunto que pesquiso bastante pois tenho muito interesse. Eu não me atentava para isso, mas hoje, depois de um ano lendo muito material a respeito, vejo que é a mentalidade de uma pessoa, a maneira como ela enxerga o mundo, que faz ela alcançar, ou não, resultados incríveis.
    Eu tinha muitas dúvidas (e tenho) sobre mindset empreendedor. Foi pensando nisso, e nas possibilidades que temos no mundo que nos cerca, que tive a iniciativa (no 5ºsemestre) de criar uma empresa júnior na universidade. Esta é uma empresa que vai me preparar, (habilidades e competências) numa perspectiva a longo prazo, para nos inserirmos no mundo digital. Não só a mim, mas a outros 35 estudantes que estão na equipe. A empresa nasceu, basicamente, da minha desconfiança diante do pensamento: “professor no Brasil ganha pouco”. Eu não queria essa realdade pra mim e decidi buscar “trilhas novas”; e encontrei: o dos cursos online.

    Hoje a empresa está se estruturando e eu ocupo a diretoria de marketing e comunicação (também encontrei minha arte).

    Sem dúvida, se eu não tivesse, em algum momento, optado e implementado em ter as 6 atitudes citadas em seu artigo, minha realidade (em 10 anos) não seria muito diferente da maioria das pessoas que acreditam que professor ganha pouco.

    Até mais, Arnaldo.

    1. Arnaldo, Obrigado por compartilhar aqui um pouco da sua trajetória. Sua iniciativa de criar uma empresa Júnior ajuda a complementar o artigo pois essa é uma outra característica que não citei no mesmo, que é você criar seu próprio cenário, não esperar a oportunidade mas sim você criar suas oportunidades, você foi lá e fez!! Parabéns!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s